Assimilando Tsunamis, superando crises

Os ensinamentos dos mestres samurais trazem um valioso alerta aos guerreiros: “cuidado com os tempos de calmaria, eles te levam a ficar gordos e descuidados”.

Grandes períodos de estabilidade econômica podem causar em nós os mesmos efeitos dos tempos de calmarias para os guerreiros. Em tempos de abundancia e fartura, costumamos aumentar o número de gastos desnecessários, não nos preocupamos com inovações de serviços e produtos, aumentamos o número de passeios e viagens, contratamos mais trabalhadores para diminuir nossas atividades. Esse período de descuido pode nos levar à nossa “zona de conforto”.

Porém, quando menos esperamos podemos ser surpreendidos por uma grande crise econômica ou governamental, ou as duas. Assim como um grande tsunami, esse cenário pode nos pegar completamente desprevenidos e causar grande devastação em nossas vidas.

Então, a crise costuma a ser usada como “escudo” para justificar o nosso descuido e falta de preparo. Digo descuido e falta de preparo pelo fato de que até mesmo os grandes tsunamis dão sinais de sua chegada, com o forte recuo da maré.

Em 2015, no crescente momento da crise no Brasil, tive a oportunidade de tecer um breve comentário a respeito deste momento na abertura do II Congresso Internacional RePacificar: “Falamos constantemente em crise econômica e crise governamental e usamos essas duas expressões para justificar tudo que acontece de ruim em nossas vidas. Não vejo essas crises. O que vejo é crise de valores, crise de princípios morais. Se o ser humano e consequentemente a família entram em crise, a sociedade vai entrar em crise, a economia vai entrar em crise, o governo vai entrar em crise”.

A zona de conforto baixa nossas defesas, então somos “surpreendidos” por um cenário que revela a nossa verdadeira crise pessoal e profissional: nossos medos; nosso comodismo; nossas crenças limitantes; nossa preguiça; nossa instabilidade emocional; nossa falta de educação; nossa falta de criatividade; nossa falta caráter. Nesses momentos, mostramos toda a nossa fragilidade moral e caímos ao impacto do mais ínfimo golpe.

Acreditando nisso, a Ninomiya Corporation traz para seus empreendimentos uma metodologia secular, desenvolvida por Ninomiya Kinjirô, na Era Tenmei (início do século XIX), que auxiliou o Japão a se reestruturar de um dos períodos de maior crise que o país já enfrentou, a conhecida Era Negra do Japão. Essa metodologia visa não apenas reestruturar empreendimentos ou lançar novos, mas criar solidas bases que conseguem suportar grandes intempéries e evitar “zonas de conforto”, sendo o foco dessa metodologia a construção de princípios e valores para o desenvolvimento humano.

“Não importa o quanto você bate, mas o quanto aguenta apanhar e continuar. O quanto pode suportar e seguir em frente. É assim que se ganha”. – Rocky Balboa.

This post is also available in: Inglês